sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal 2010

video

Portanto a reter:

- Luvas para o frio;
a
- Dancar e cantar á vontade desde que nao se  faca mal a ninguém:
a
- Nada de gravar vídeos onde houver gelo;

- Chá e "King of Queens" antes de ir para a cama.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Em altura de balanços

Dezembro... altura dos típicos balanços dos ano, dos mais e dos menos e tudo e tudo e tudo.

Boa altura para deixar aqui, quiçá, o melhor videoclip de música do ano: "Ok Go - This too shall pass"


Entretanto hoje, depois do dia com mais neve desde que estamos em Gloucester, saí da farmácia e tinha o carro coberto por uns 5 cms de neve em todas as superfícies possíveis. Benditas caneleiras que andam na mala do carro e que, na falta de uso na Sunday League, servem brilhantemente como pás de neve.  

Escusado será dizer que o cidade toda coberta de branco está fantástica!

sábado, 18 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Dezembro é para "leães"

"It's the most wonderfull time of the year..." diz uma das músicas que, invariavelmente, passam todos os dias, na rádio, nesta altura do ano... Claramente, o "camejim" que escreveu a música nunca trabalhou numa Lloyds, em pleno mês de Dezembro, senão teria antes escrito "It's the most unbelievably freakin crazy time of the year...". E é mesmo!

Pelo movimento que as farmácias têm parece que os medicamentos vão desaparecer da face do planeta amanhã e que ninguém quer ficar sem os seus. Parece mesmo o fim do mundo. Então se ao facto de ser Dezembro, juntarmos uns floquitos de neve que este ano insistem em cair, então é que o inglês se passa. O estado é quase de pânico nalgumas pessoas...

Não dá para perceber... Ainda se fosse em Portugal, onde neva de década em década, epá... ainda se percebia: é novidade, a malta pensa que vem aí o fim do mundo... tudo bem! Agora estes gajos que levam com neve todos os anos e se safam sempre, que vêem que a ilha por cá continua e que nunca há falta de nada, porquê tanto stress?

Bom... venha daí a próxima semana que essa sim, a ver pelo exemplo do que têm sido estas últimas, vai ser o "Deus-me-livre".

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Das apostas II



"Então mas tu és parvo? Achas que o Porto vai ganhar e apostas no empate?". Calma! Aposto no empate porque a odd era exagerada para aquilo que provavelmente se ia passar... em especial nos primeiros minutos de jogo. Onde um Porto com algumas caras novas, sem Hulk nem Moutinho e com o apuramento no bolso não precisava de acelerar assim tanto.

E assim foi. Começa o jogo e o Porto não marcou logo. Conclusão: o mercado começou devagarinho a "corrigir" a odd do empate. Ou seja: quanto mais os minutos passavam e o Porto não marcava, mais provável era que o empate fosse o resultado final e, por conseguinte, mais a odd do empate diminuía.

Quando a odd de apostar CONTRA o empate andava pelos 7.0 (isto foi para aí aos 15 min. de jogo) eu comprei £23.00 de aposta CONTRA o empate (ou seja, assumi a responsabilidade de pagar 7.0 x 23 = £161.00 a alguém, caso o jogo acabasse empatado, recebendo as £23.00 deste alguém caso o jogo não terminasse empatado). E, apartir deste momento, atingi um green booking: ou seja, podia desligar o computador que acontecesse o que acontecesse no Estádio do Dragão eu tinha lucro garantido. Se não vejamos: se o Porto empatasse eu ganhava £164.00 da primeira aposta, tendo de pagar £161.00 pela segunda (164.00 - 161.00 = £ 3.00 de lucro). Se o Porto não empatasse eu ganhava £23.00 da segunda aposta, perdendo as minhas £20.00 da primeira (23.00 - 20.00 = £ 3.00 de lucro). 

O lucro é baixo: certo! Mas tem que ser visto à luz do capital investido: £20.00. No fundo é um lucro de 15%... o que em cerca de 15 minutos não é mau. Então e se o Porto marcava nesses 15 minutos? Bom... esse é o risco da coisa e por isso é que é importante escolher os jogos certos (para minimizar o risco). Se o Porto marcasse, a odd do empate ia disparar e aí havia duas hipóteses ou se seguia com a aposta até ao fim (arriscando o capital de £20.00) esperando um golo do CSKA (improvável, mas que até aconteceu) ou se comprava imediatamente aposta contra o empate, com imediato prejuízo, mas minimizando as perdas. E se o CSKA marcava primeiro? Isso por acaso era bom. Quando a equipa mais fraca marca nos primeiros minutos, a odd do empate tende a descer drasticamente e isso permitiria lucros maiores.

Outro mercado muito bom (não vale a pena enumerar as razões porque isso dava para 4 ou 5 posts ainda maiores) e que é aquele onde tenho feito mais trading é o "over/under 2.5 golos". E pronto, vai dando para entreter e ver a bola: carreguei £50.00 há três semanas e tenho lá perto de £140.00... Quem quiser saber mais, procure o site ou os vídeos no Youtube de um gajo que é trader profissiona chamado Paulo Rebelo.

Das apostas I


Falemos então do novo entretém do surdo: as apostas. Não é propriamente nada de novo... há anos que mando uns "tiros" de vez em quando, mas até agora era sempre baseado na simples análise de punter: acho que se vai passar X, aposto a favor de X (sendo X um acontecimento real qualquer, em geral, o vencedor de um jogo de futebol). Nada mais simples... há mil casas de apostas por aí onde fazer isto.

Recentemente, descobri a Betfair que é a única casa que permite apostar CONTRA os acontecimentos. Ou seja, além de poder apostar que vai acontecer X, posso também apostar que X não vai acontecer. E isto, que é uma ideia tão simples, abre todo um novo mundo de possibilidades, pois cria um mercado (entre utilizadores) com compra e venda de apostas, com as odds a serem defenidas pelos próprios utilizadores. E daqui nasce o Bet-Trading que mais não é do que um forma de retirar lucro das variações que o meracdo vai sofrer (tal como a fazem os especuladores na bolsa).

Mas vamos lá ver se eu consigo explicar o que é isto do Bet-Trading, com um exemplo concreto. Ontem, por exemplo, jogava o Porto. Em casa, Liga Europa, adversário acessível... análise de punter:  provavelmente o Porto ganha! OK... Análise de trader: provavelmente o Porto ganha, sim senhor, mas o Porto já tem o apuramento garantido, segundo anunciaram vai rodar jogadores e como nem precisa desesperadamente da vitória não vai entrar "a  matar". Vamos ver como é que está o mercado: odd a favor do Porto 1.22, odd a favor do empate 8.2. Isto é um exagero para as condicionantes do jogo: é provável que o Porto ganhe, mas este empate está sobrevalorizado. Comprei £20.00 do empate a 8.2, o que significa que houve alguém que aceitou assumir a responsabilidade de me pagar £164.00 caso o jogo acabasse empatado (recebendo as minhas £20.00 caso o jogo não acabassse empatado).

domingo, 12 de dezembro de 2010

Santo Dezembro


Em Dezembro, quase todas as companhias proibem os farmacêuticos de tirar férias. Como tal, tirando o dia de Natal e o Boxing Day, este mês não faço horas-extra e assim sendo tenho, finalmente, aproveitado o horário que tenho no contrato: trabalhar dois dias, descansar um, trabalhar mais dois e descansar ao fim-de-semana. Vida santa!

Por outro lado, e pela mesma razão, é mais difícil para um locum arranjar trabalho. Como tal, a Vanessa, de modo a garantir sempre 5 dias de trabalho todas as semanas, optou por fazer o seu "fim-de-semana" à segunda e terça-feira, trabalhando ao sábado e domingo.

Corolário disto tudo: aquela Playstation tem trabalhado como nunca, o "Call of Duty" idem e, graças ao novo vício das apostas e do bet-trading (num próximo post explico), tenho visto futebol como nunca antes. Ontem, por exemplo, que a Vanessa trabalhou o dia todo, comecei  às 11h30m com o Inverness-Rangers, passei para o Bayern-St. Pauli, depois vi o West Ham-Man. City, comi com a primeira parte do FC Porto, vi o Newcastle-Liverpool todo, vi o Génova-Nápoles todo e ainda fui a tempo de ver a última meia hora do Sporting. E ficamos por aqui porque o campeonato argentino acabou esta semana e agora não tenho jogos para ver à meia-noite...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Programa de festas para os próximos tempos


Como tenho tinho alguma malta a perguntar se vou a Coimbra no Natal, decidi postar aqui o programa de festas para os meses que se avizinham.

Assim sendo, e quebrando o tabú, não, não vou a Coimbra, no Natal. Fico por aqui sozinho (já que a Vanessa vai passar o Natal e o Fim-de-Ano, à Madeira) e trabalho duas horas, no dia de Natal, e outras duas, no Boxing Day.

Para compensar a não ida a casa no Natal, já estou a mexer umas folgas para poder ficar com um fim-de-semana comprido e ir a Portugal a meio de Janeiro. Depois, em Fevereiro, devemos ir passar uma semana de férias juntos (sim... nós também tiramos férias juntos), em Março ou Abril  volto a fazer um daqueles fins-de-semana compridos e na Queima a presença de ambos é garantida.

Entretanto, por cá continuamos. Nós e a neve.