segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sunday League: fim de época 2010/2011

Sexta-feira houve jantarinho de encerramento da época da Sunday League.

Além do troféu que cada um recebeu por termos sido vice-campeões, fui ainda eleito o "Melhor jogador estrangeiro" da equipa: prémio que resolvi atribuir a mim próprio, dado o facto de não ter sido considerado, por todos os meus colegas, como o "Melhor jogador" da época. Humildade à parte, foi uma noite porreira, com uma maltinha que, ano e meio depois de aqui chegarmos, ainda vai sendo a única com quem interajo com regularidade fora do trabalho.

Na foto: eu, o Levi e a taça. Da mesma salta à vista que: 
1 - Preciso de cortar o cabelo. 2 - Preciso de dormir. 3 - Preciso urgentemente de apanhar Sol.


P.S. - Tenho a certeza que este gajo é parecido com alguém famoso ou com algum desenho animado mas não me consigo lembrar qual. Até fui a um site de comparação de fotos com pessoas famosas mas não apareceu nada de jeito. Se alguém me pudesse ajudar, agradecia.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Habemus férias

Depois de várias semanas de indecisão, de cinco dias de intensa procura, de termos tudo marcado e um site não nos arranjar lugar no voo prometido, de voltarmos a procurar e de pagarmos mais £100 cada... finalmente habemus férias.

Vamos... lá.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Dublin 2011

Dublin foi maravilha!

O voo Bristol-Dublin é meia horinha: aquilo levanta, anda dez minutos e aterra. Acho que até eu fazia... Depois foi só esperar um bocado que chegasse o resto da comandita, que vinha de Portugal, fomos ao hotel deixar as malas e começou...

Primeiro mergulhámos num almocinho de três horas, bem servido e melhor regado... Indescritível! Depois andámos lá pelas ruas até acharmos o pub ideal (com esplanada) para abancarmos a beber uma(s) Guiness  e chatearmos toda a santa alma que passasse na rua. Mais um bocado e eram horas de irmos para o estádio, vimos a jogatana, voltámos a casa e fomos dar aquele giro que se impunha.

Bem sei que era noite de final europeia e que, talvez por isso, houvesse mais animação e mais gente na rua, mas, pelo que vi, Dublin by night dá trinta a zero à parvónia de Gloucester: muitos bares com música ao vivo, muita animação e muita gente. Fiquei fã e voltarei, em breve.


video

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Tenho feito vida boa

Finalizo, esta semana, com a ida a Dublin para ver o Benf... a final da Liga Europa, um período louco de dois meses em que as viagens se sucederam a um ritmo louco. Nem as malas arrumava! Valha-me que longe vão os tempos em que tinha medo de andar de avião...

De modo a aproveitar ao máximo os dois meses que se seguem e que antecipam as primeiras férias de Verão - última semana de Junho e primeira de Julho - já combinei com a Lloyds e vou trabalhar todos os sábados de Maio, Junho e Julho em que não estiver de férias.

Só há uma semana mais dura que é a que se segue ao regresso de Dublin, onde além de trabalhar o sábado também tenho de trabalhar a quarta-feira, para compensar as duas folgas que tenho por causa do Benf... da final da Liga Europa. Vão ser seis dias seguidos para matar saudades dos tempos de Portugal. Nas restantes semanas não custa nada... é o velho dois mais três. E os sábados são sempre mais relaxados...
s

terça-feira, 10 de maio de 2011

Não foi dos melhores fins de semana que já tive em Portugal

Começou logo mal na quinta-feira à noite, né? Eles não andavam, o treinador não arriscou, a bola não quis entrar e agora vou eu para Dublin puxar... pelo árbitro.

A sexta até foi porreira: apanhei a Vanessa, no Porto, e fomos matar saudades de um restaurante onde íamos amiúde nos tempos em que ela vivia na cidade. Depois: Queima na Portagem e os re-encontros habituais. Bem melhor, aliás, que a noite de sábado onde, há excepção do re-encontro com dois ou três pharmaoestianos que não via há algum tempo, tudo foi pior que na véspera. 

A cereja no topo do bolo viria domingo, com uma cena digna de filme. Era uma e meia da manhã e estávamos a tentar dormir porque segunda-feira tínhamos de acordar às seis e meia da manhã. Na rua, um casal de estudantes discutia em altos berros e com linguagem hardcore há uns dez minutos. Eu, ignorando o conselho da sábia Vanessa, desci as escadas de casa dos meus pais, abri a porta e disse-lhes: "Oh pessoal, como é que é? Há gente a querer dormir." Do outro lado da rua mandaram-me umas "caralhadas". Virei costas e disse: "Tudo bem. Mas ou falam mais baixo ou chamo a polícia". Estava ainda a fechar a porta de casa, começo a ouvir a rapariga a gritar para o rapaz "não fazer isso" e começo a pensar: "Olha... queres ver que o gajo vai tocar à campaínha e acordar toda a gente?".

Posso-vos dizer que ele não tocou à campaínha. O que não invalida que não tenha acordado toda a gente. O que a inteligente criança resolveu fazer foi, espetar um valente biqueiro na porta de casa dos meus pais, e rebentar completamente a fechadura. Eu, vendo-me na presença de um ser que espumava raiva pelos olhos e era bem maior que eu, fiz o que me lembrei na altura: subi três degraus das escadas, agarrei num bocado de corda bem grossa que sei que o meu pai ali guarda, preparei-me para o pior e gritei à Vanessa para acordar o meu pai. Estava a puta armada!

O gajo, entretanto, rebentou a porta mas não entrou. A tipa puxou-o para fora. Aí saí eu para lhe perguntar se tinha noção do que tinha feito. Nisto chegam os meus pais. Aparecem uns gajos que estavam no Samambaia. O casal - qual deles o mais bêbado - alternava a calma com as ameaças e a vontade de pagar os estragos com a vontade de ir embora. No meio disto tudo, volta e meio aquilo ia descambando... Bem, teve tudo para ser daqueles filmes que depois acabam no Youtube com um gajo com um balázio metido. E a polícia que nunca mais chegava...

Quando chegou a polícia, o casal (no fundo, as únicas testemunhas além de mim) tinha uma história mirabolante que incluia um início em que o meu pai vinha para a rua com um pau o que, segundo eles, tinha desencadeado tudo. Eu estava claramente em desvantagem... era a minha palavra contra a deles os três: ele, ela e o vinho. E foi isto até às três e meia da manhã...

No fim, lá se trocaram os números de telefone e com ela já a ficar meio sóbria, lá se acordou que caso eles paguem o estrago da porta, não há queixa nenhuma. Na segunda-feira, segundo o meu pai, o rapaz ligou-lhe envergonhado e arrependido, a pedir desculpa a todos e a dizer que tinha tido uma atitude inaceitável, Depois ainda foi ter com os meus pais e acabou por pedir desculpas, pessoalmente. Ficou-lhe bem.

Quanto a mim, sempre a aprender: barulho na rua = chama a polícia.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

No vício

22h52m - O Dan Brown matou o Robert Langdon.

00h55m - Parece que ainda não foi desta.

domingo, 1 de maio de 2011

Grande semana grande

Em duas palavras: ganda semana! Muitas almoçaradas, muitas jantaradas, muitas noitadas, muitos amigos revistos, Benfica, poker, Playstation... O habitual, né?

A palestra na Faculdade correu bem... Aliás, deixemo-nos de falsa humildade, correu muito bem! Já recebi alguns feedbacks, no mail e no Facebook, e, pelas reacções, deu para perceber que consegui passar a principal mensagem que queria. Valeu a pena!

Agora vai ser uma semaninha por aqui e, sexta-feira, nova viagem para Coimbra, para passar o fim de semana da Queima... Onde conto ouvir variadas vezes, o som que conheci na quinta-feira e que é o meu vício do momento: