quarta-feira, 3 de março de 2010

Coronation Square

Branch 584 da Lloyds. Também conhecida como Coronation Square. Já lá tinha ido várias vezes em Janeiro, mas foi a partir do início de Fevereiro que passei a ir lá todos os dias e a trabalhar, efectivamente, como Manager. Não é das farmácias mais complicadas por onde passei mas tem os seus problemas...

Em especial, tenho tido que comprar algumas guerras com o staff. É que eles até são sabem o trabalho que têm de fazer (coisa que em algumas farmácias por onde eu e a Vanessa temos passado não acontece). O pior é o desleixo, a pouca vontade em fazer bem e a Lei-do-menor-esforço que por vezes teimam em aplicar. E se nos primeiros tempos, como Relief, acabava por engolir algumas coisas que via, nos últimos tempos tenho começado a exigir algumas mudanças.

Algumas coisas tenho que exigir não só para defender os utentes como, principalmente, para me defender a mim (já que tudo o que acontecer de mal devido a um erro ou omissão da farmácia é minha responsabilidade). Outras tenho que exigir, simplesmente, porque fazem parte das regras mínimas de trabalhar em conjunto.

Sai um exemplo: uma artista quer pôr um papel no lixo. Agarra no papel, amachuca-o, manda para o caixote, falha e o papel fica no chão. Espero um minuto, ninguém se mexe, vou lá e meto o papel no lixo. Não digo nada, mas fico com calor. Acontece, de novo, passado uma hora: vou lá, apanho o papel, meto-o no lixo e chamo a atenção que é a segunda vez que o estou a fazer. Acontece de novo passado duas hora: não dá mais! Assim que a artista chega do almoço, mostro-lhe o papel, peço-lhe para o apanhar e explico-lhe que nem aquilo é a casa dela, nem ali há escravos.

Obviamente com isto, as primeiras duas semanas foram de cortar à faca e, principalmente os elementos mais jovens da equipa, olhavam-me de lado e passavam-me pouco cartucho. Os últimos tempos já foram melhores, com uma aproximação dos extremos: eles melhoraram um pouco alguns comportamentos e eu também acabei por não conseguir ganhar todas as guerras.

É esta a luta em que ando metido... e em que a Vanessa também acabou de ser convidada para se meter. Embora, no caso dela, haja outras alternativas em carteira...

P.S. - Entretanto, a Selecção do Proxor Queiroz está a jogar com uma equipa que, pelo que mostrou nos primeiros 25 minutos, se arriscava a perder com o Benfica de 1999-2000 (sim... é o de Vigo).

1 comentário:

anita disse...

Ora Andre, e' nessa vida e nessas lutas que eu ando metida! E' do caracas mas eu, ao contrario de ti, tenho o staff novo do meu lado, sao as velhotas que me moem o juizo!!!